Confira a entrevista completa sobre Whindersson Nunes A Revista Quem.

Spread the love

Os números de Whindersson Nunes na internet impressionam. São 34 milhões de inscritos em seu canal no YouTube, 28 milhões de seguidores no Instagram, 10 milhões no Twitter e 5 milhões no Facebook.

Toda essa gente fez dele o maior fenômeno da web: o piauiense de 24 anos é hoje o youtuber de mais sucesso do Brasil. No meio disso tudo ele também estrelou o filme Os Parças, que levou mais de um milhão de pessoas aos cinemas no ano passado e já tem continuação prevista para este ano. E atualmente está gravando a série Os Roni, que será exibida no Multishow, e solta a voz em Eu Vou Tu Vai, que promete ser o hit do carnaval de 2019.

Confira a entrevista completa sobre Whindersson Nunes A Revista Quem.
Confira a entrevista completa sobre Whindersson Nunes A Revista Quem.

Como se não bastasse o trabalho na internet, TV e cinema, Whindersson está preparado para alçar voos mais altos, mas desta vez nos palcos. Em 20 de fevereiro, ele dará início a uma turnê que percorrerá quatro continentes com seu show de stand up comedy, Adulto — serão dois meses longe de casa. Em breve o show também chegará ao catálogo do streaming.

Mas afinal, quem é Whindersson Nunes? Criado no interior do Piauí, ele chamou atenção ao gravar vídeos no quarto de casa contando, de maneira bem-humorada, as peculiaridades de sua infância humilde, de sua família e das pessoas que o cercavam. A origem pobre faz parte de suas piadas até hoje, e em seu show, ele conta que começou a ganhar dinheiro há quatro anos, e que antes disso vivia uma realidade completamente diferente. Verdade seja dita, Whindersson ganhou muito dinheiro: sua mais recente aquisição foi um jatinho avaliado em 1,2 milhão de reais.

Mesmo com a agenda lotada, o humorista arrumou tempo para posar para a capa da QUEM – após quase dois meses de negociações -, em um ensaio que misturou o luxo do cenário – uma suíte do hotel Renaissance, nos Jardins, em São Paulo – com o jeito brincalhão que encanta seu público.
Os vídeos, shows e filmes mostram um Whindersson capaz de qualquer maluquice para arrancar risadas de quem o assiste. Nos bastidores, no entanto, uma surpresa: Whindersson é introspectivo e discreto. Para o ensaio, o humorista chegou pontualmente ao hotel, não fez exigências, esperou pacientemente a montagem do set e aceitou todas as sugestões da equipe, fossem elas entrar numa banheira de roupa e tênis ou depilar uma das axilas. “Estou aqui pra isso”, justificou ele.

O bom humor de Whindersson nas fotos exemplifica sua habilidade de fazer graça mesmo quando as circunstâncias não são as mais favoráveis: o ensaio foi realizado um dia após uma imagem íntima da mulher, a cantora, Luísa Sonza, ter sido vazada nos Stories dela. Whindersson preferiu não comentar o ocorrido, e apenas confirmou que medidas legais foram tomadas. “Está em investigação. Vamos esperar a justiça.”

A divulgação de foto íntima alheia sem permissão é crime e já teve como alvo atrizes como Carolina Dieckmann, Paolla Oliveira e Grazi Massafera, e as americanas Jennifer Lawrence e Scarlett Johansson. Qualquer pessoa que tenha sua intimidade exposta na internet, ou seja ameaçada disso, seja ela famosa ou não, deve registrar um boletim de ocorrência. O criminoso pode responder por injúria, difamação ou invasão de dispositivo informático (no caso dos hackers). “Meninas que passam por isso, eu sei que é ruim, difícil, mas não deixem isso abalar vocês. É só mais um peito, mais um corpo, e a gente é bem mais que isso”, comentou a cantora de 20 anos logo após o ocorrido. “São danos irreparáveis”, comentou Whindersson na web, deixando claro que o momento não era para brincadeira.

O lado introspectivo de Whindersson surpreende os fãs que o encontram em situações nas quais ele não está trabalhando. “Já me disseram que eu parecia estar triste. Têm momentos em que preciso me esforçar para ser engraçado. Eu fico quieto, boto fone, vivo como uma pessoa normal. A hora em que eu precisar, vou fazer meu trabalho direito. Não sou chato, é o meu modo de me guardar para, na hora do ‘vamos ver’, render”, explica.
INÍCIO SEM EXPECTATIVAS
O primeiro vídeo de Whindersson Nunes foi aos 14 anos. Na época, 2009, o YouTube engatinhava no Brasil. “Eu não tinha expectativa nenhuma da minha vida. Só queria viver até morrer. Quando as coisas começaram a andar eu me liguei que era promissor, mas do jeito que foi, não tinha como prever. Depois de um tempo vi que era para trabalhar mesmo, fazer a vida”, conta.

Os seguidores foram aumentando aos poucos, e o primeiro vídeo que viralizou foi “Alô vó, tô reprovado” (assista aqui), de 2013, que teve cinco milhões de visualizações em uma semana. O sucesso veio mesmo com “Qual é A senha do Wi Fi” (confira), que estourou em 2015. “Foi um divisor de águas”, fala. O vídeo em questão é uma paródia de Hello, de Adele; e em ambos, Whindersson mostra outro de seus múltiplos talentos, o de cantar. O clipe tem hoje mais de 69 milhões de visualizações.

Com o sucesso vieram as críticas. “Muita gente não gosta de mim ou do meu humor, diz que é fraco, é forçado”, disse ele. “Não é uma coisa exclusiva de quem é artista. Todo dia é difícil para todo mundo. Levantar da cama é difícil. Mas não tenho dinheiro para fazer todo mundo ficar esperando eu acordar. Então, tenho que acordar no horário, gravar estando mal, porque se algo aconteceu, as pessoas não tem nada a ver com isso, querem te ver sendo cômico”, comenta.


DE VOLTA ÀS ORIGENS


Whindersson está focado em alcançar 50 milhões de inscritos em seu canal, o que renderá a ele a placa de Rubi do Youtube e um lugar entre os maiores do mundo. A campanha para chegar lá é inusitada: Whindersson produziu um média-metragem, A Placa de Rubi: A Chibatada Final, que estreia no canal dele dia 17 de fevereiro (o trailer pode ser visto aqui). “É uma loucura minha. Fizemos em cinco dias”, explica.

A campanha também reaproximou o humorista da plataforma que o fez famoso. Mesmo com tantos trabalhos fora da web, ele segue produzindo novos vídeos online, e sempre no formato que o fez famoso: enlouquecendo em frente à câmera, sem muita produção, com vlog, paródias e comentários sobre filmes de terror.

“Tenho muitas outras coisas para fazer, e o dinheiro vindo do Youtube não faz diferença. Desfoquei por um tempo, vacilei com a galera que me deu o que tenho hoje. Posso fazer sucesso no cinema, no stand up, mas tudo veio pelo YouTube. Faço por gratidão. É meu novo foco, de novo”, diz, explicando ainda que as dancinhas no início dos vídeos, um dos momentos favoritos de seus fãs, faz com que ele não tenha rendimento (por conta dos direitos autorais da música usada no vídeo, o YouTube retira a monetização). “Mas mesmo assim eu faço, porque a galera gosta e pede”, conta.


DOIS MESES LONGE DE CASA


Ainda sem data de estreia, a série Os Roni, com Whindersson, Tirulipa e Carlinhos Maia no elenco, está atualmente em produção. Eles interpretam três irmãos vindos do Nordeste para reencontrar a irmã que se deu bem em São Paulo.

Encerradas as gravações, Whindersson terá um dia de folga – sim, um único dia! – e embarcará para a Europa para iniciar a turnê mundial de seu show, que passará pelo Japão, Estados Unidos e África. Serão dois meses fora de casa, interrompidos por uma volta rápida ao Brasil para gravar um comercial publicitário. Ver a mulher, Luísa Sonza, é o único detalhe da viagem ainda em aberto. “Quando ela tiver uma semana livre, vai viajar para me encontrar”, planeja Whindersson, sem saber o destino da amada.

https://www.youtube.com/watch?v=g865SZmy8ro&t=13s

Os shows são voltados para os brasileiros que vivem fora do país. A recepção, diz Whindersson, é sempre muito boa. “O pessoal mata um pouco da saudade do Brasil indo aos shows”. Os ingressos estão quase esgotados, inclusive para oito sessões no Japão.


O PREÇO DA FAMA.


Os números milionários já não impressionam tanto o humorista. “Me acostumei um pouco”, diz ele, sobre ter em seu canal o equivalente a mais do que o dobro da população da cidade de São Paulo. “Às vezes, fico indignado. Penso: ‘Como pode vinte milhões de pessoas vendo um vídeo no YouTube? É muita falta de ter o que fazer! Fico surpreso, sim”, brinca.

Ele diz que ainda assim mantém uma vida normal. “Eu vou ao cinema, almoço em shopping, mas em horário com menos gente. Sábado é impossível. Dia de semana, no horário de serviço, é tranquilo. O problema é quando aglomera, avisam que estou ali, começa a chegar mais gente”, diz. As cidades pequenas estão mais suscetíveis a tumultos. “Às vezes, vira evento. O Brasil é muito grande. Posso ser o único famoso que a cidade vai ver. Já virou perseguição, tipo ‘Walking Dead’, com carro seguindo, galera gritando, correndo, mas isso não acontece no Rio de Janeiro porque toda hora no shopping passa a Bruna Marquezine.”
OSTENTAÇÃO E AMADURECIMENTO
Whindersson vem colhendo os bons frutos do sucesso. Em 2018, adquiriu um jatinho avaliado em 1,2 milhão de reais. “Há prós e contras em tudo. Só não pode aloprar. Se eu tenho um jato, então vou curtir. Vou fazer de conta que não tenho dinheiro? Todo mundo sabe que eu tenho. Então vou gastar. Não tenho vaidade de relógio, meu luxo é viajar, conhecer novas culturas, novas pessoas. Amo isso. E vou duas vezes se for preciso”, diz, sem meias palavras.
O humorista admite que nem sempre manteve os pés no chão frente a tanto sucesso (e altos faturamentos). “No início eu não dosei, dei uma pirada. Comprava carro a torto e a direito, trocava toda semana. Você tem que passar pelas coisas pra entender. Para parar e pensar ‘a fama vai passar e não vai sobrar nada’. São as pessoas certas do seu lado que vão dizer ‘não precisa’, ‘pra quê isso?’, ‘vai com calma’, ‘investe nisso’, ‘faz aquilo’”.
Parte do processo de amadurecimento de Whindersson veio com seu casamento, em fevereiro de 2018. “Casamento é um passo que não é brincadeira”, diz ele. Luísa tem feito sucesso com hits como Devagarinho e Boa Menina e acaba de gravar a canção tema da animação WiFi Ralph. O casal está focado no trabalho e ainda não pensa em filhos. “Talvez daqui quatro ou cinco anos”, diz, e revela não estar decidido se quer uma família grande ou pequena – Whindersson é o terceiro de quatro irmãos. “Ninguém quer ter quatro filhos se não gostar do primeiro”, brinca. “Tem que ir sentindo, porque é muita responsabilidade colocar uma vida no mundo. Tem que ter a cabeça no lugar. Meus pais não tinham cabeça para fazer humor, mas tinham para criar filho. A gente tem cabeça para ser artista, mas não sei se temos para cuidar de uma criança”.

Whindersson Nunes Aspas (Foto: )
Família, para Whindersson, também é sinônimo de humor. Em seu show, seus pais e a mulher são fonte da maioria das piadas. Ainda assim, todos se divertem. “Luísa ri pra caralho, do palco é quem eu mais escuto rindo. Ela sabe o show inteiro, mas ainda acha engraçado”. No show Eita, Casei, que rodou o Brasil, Luísa e sua origem gaúcha são tema de muitas das piadas. Ele conta que ela é realmente engraçada. “Muitas piadas eu invento de algo que ela diz”. As diferenças entre os dois, de linguajar, classe social e memórias de infância, rendem também vídeos como “Sotaque”, com 13 milhões de visualizações, no qual Whindersson imita sotaques de norte ao sul do Brasil, incluindo o de Luísa. “Não é defeito, é diferença, e é o que faz tudo ser especial”, conclui ele no vídeo.

Whindersson Nunes (Foto: Angelo Pastorello/ Ed. Globo)
DISPOSTO A APRENDER
A Netflix terá em breve em seu catálogo o novo show de Whindersson, Adulto, gravado em Fortaleza em dezembro passado, em uma arena com 20 mil espectadores. “Para mim foi igual estar em um teatro de 200 pessoas. Claro que tem outra energia, mas meu modo de fazer é como se eu estivesse com 200 pessoas”. No Twitter, Whindersson postou o segredo de seu sucesso: “Eu pareço ser um doido que fala merda ao vento, mas eu estudo muito pra isso”.

Em um post no Twitter, o humorista desabafou sobre ter aprendido a ser engraçado. “Eu não fui uma criança engraçada, não cresci engraçado, eu aprendi tudo. Daí você tira que qualquer um pode fazer o que eu faço, eu não sou especial, é tudo questão de estar disposto a aprender”. Para a QUEM, ele explicou: “Todo mundo nasce sem nada, você pode aprender qualquer coisa. Tem essas crianças-fenômenos que pintam quadros e fazem essas coisas, mas eu não era assim, não fazia show em casa, não dançava, fazia coisa de criança normal”, diz. Mas será que tanto sucesso não aponta um talento nato? “Eu aprendi, me esforcei e hoje eu gosto e não vivo sem. Humor é minha vida. Onde tiver espaço para fazer humor, eu vou entrar”. E se o humor não tivesse vingado? “Não faço ideia do que estaria fazendo.”

Whindersson Nunes Aspas (Foto: )Whindersson Nunes (Foto: Angelo Pastorello/ Ed. Globo)
NOVO TANQUINHO
No ensaio para a QUEM, Whindersson mostrou estar em plena forma. “É difícil ter essa barriga”, confessa. Ele emagreceu quase 20 quilos em oito meses. Para tanto, investiu em exercícios aeróbicos para perder as gordurinhas do abdômen, malhou para ganhar músculos e lutou boxe para definir a musculatura. “No começo pedi para o nutricionista uma dieta bem regrada, era quase só água e vento, agora já como besteira no fim de semana”. Ele sempre esteve à vontade com seu corpo e, mesmo com alguns quilinhos a mais, fazia seus vídeos sem camiseta e dançava sem medo de ser feliz. Agora, em nova forma, ostentou o tanquinho em uma viagem à Tailândia. As imagens compartilhadas no Instagram incluíram um clique com fio dental que teve mais de 2 milhões de curtidas cada. “Muito mais gente ri do que acha ruim.”

Whindersson Nunes (Foto: Angelo Pastorello/ Ed. Globo)Whindersson Nunes (Foto: Angelo Pastorello/ Ed. Globo)Whindersson Nunes (Foto: Angelo Pastorello/ Ed. Globo)
Edição de Moda: Rafael Menezes
Assistente de produção de moda: Rafael Oliveira
Agradecimentos: Renaissance São Paulo Hotel e Hasbro
fonte : revistaquem.globo.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *