FLUMINENSE APRESENTA PAULO HENRIQUE GANSO SEU NOVO 10

FLUMINENSE APRESENTA PAULO HENRIQUE GANSO SEU NOVO 10

Ganso veste a camisa 10 do Fluminense em apresentação e resume sentimento: ”Feliz e leve”


Bem humorado em coletiva no Maracanã, meia fala de Europa, alfineta Sampaoli, brinca sobre volta de Fred, se emociona com pequeno torcedor e dá previsão para estreia.


Depois da euforia do anúncio e da emoção no desembarque, nesta terça-feira foi a vez de Paulo Henrique Ganso ser apresentado oficialmente pelo Fluminense.

Em evento realizado no Maracanã, o meia, que rescindiu com o Sevilla-ESP e assinou por cinco anos com o Tricolor, vestiu a camisa 10 tricolor. Bem humorado e de alto astral, conversou com a imprensa sobre diversos assuntos, como expectativa por nova fase da carreira, passagem discreta na Europa, seleção brasileira, etc.

Em chegada ao Fluminense, Ganso alfineta Sampaoli: “De cinco ele não quer nem ouvir”


A apresentação guardou dois episódios curiosos: uma alfinetada em seu ex-técnico no Sevilla, Sampaoli, hoje no Santos, e um momento de emoção com o pequeno torcedor Ricardo, de 8 anos.


Em mais de uma vez, o jogador usou as palavras ”feliz e leve” para resumir o sentimento de sua nova fase da carreira, no Tricolor:

  • Estou feliz, leve, sem preocupações. Isso é o mais importante. Quando você está feliz fora de campo, as coisas fluem o mais natural possível dentro de campo e acabam dando certo – disse.

  • Sobre expectativa para estreia, Ganso disse que estaria pronto em cerca de uma semana, bastando apenas iniciar os treinamentos e se entrosar com os companheiros. No entanto, não há data prevista para a primeira partida do jogador. Vale lembrar que ele não pôde ser inscrito no Carioca e na 1ª fase da Sul-Americana:
  • Se eu pudesse, já estaria pegando o avião para Teresina (Flu joga nesta terça-feira contra o River-PI, pela Copa do Brasil). Creio que uma semana, dez dias já é suficiente. É mais treinar com o grupo mesmo, se entrosar com os companheiros. Você vai fazendo um treinamento com bola e ganha ritmo e tira de letra isso.
  • Estou ansioso demais para ter esse primeiro contato, no Maracanã, jogando, atuando. Espero que seja o mais rápido possível. Feliz e comemorando, de preferência uma bela vitória. Uma pena eu não poder jogar esses grandes jogos (não foi inscrito a tempo no Carioca e na 1ª fase da Sul-Americana). Mas da minha parte tenho que pensar em treinar bastante, estar bem preparado, e isso já estou fazendo. Tem tempo. Já que não poderei jogar nesse começo, o mais breve possível quero estar em campo.

Revelado pelo Santos ao lado de Neymar, Ganso defendeu ainda o São Paulo antes de ir para a Europa, onde vestiu as camisas de Sevilla-ESP e Amiens-FRA. Sua passagem pelo Velho Continente nos últimos dois, no entanto, foi traduzida em pouco mais de 40 jogos.

  • Muitas coisas, nem dentro de campo, que influenciaram para que eu jogasse pouco, mas fora de campo. Alguns problemas que não vale a pena citar aqui. Quando joguei, fiz bem o meu papel, com gols e assistências. E do nada acabei ficando de fora. Mas não posso falar isso para vocês abertamente, mas eu sei o que aconteceu. Agora ficou para trás. Agora é desfrutar muito desse momento novo.

Foi Sampaoli, hoje técnico do Santos, que pediu a contratação de Ganso pelo Sevilla, na época. No entanto, o treinador acabou dando pouca oportunidade para o meia. Sampaoli, aliás, também foi assunto na entrevista. Quando um repórter dizia que havia a expectativa de que o argentino testasse Ganso como volante no clube espanhol, como um camisa 5, o jogador interrompeu a pergunta e disse:

  • Cinco? O quê? Cuidado com o que você está falando. Cinco – disse o meia.

Na sequência, o repórter prosseguiu e perguntou se a presença de Sampaoli no Santos impediu uma possível negociação com o clube que o revelou. Na resposta, Ganso voltou a alfinetar, e fez alusão à derrota do time comandado pelo seu ex-treinador para o Ituano no último fim de semana.

  • De cinco ele não quer nem ouvir (risos). Brincadeiras à parte, tiveram algumas coisas que aconteceram lá fora. Quando uma pessoa pede a sua contratação e não coloca você para jogar, alguma coisa está errada. A pessoa nem falar com você, não conversar, está errado. Mas isso passa, a gente esquece, vida que segue para todo mundo.