TENTA ACALMAR ALIADOS PARA APROVAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA EM CASO DE MINISTRO.

GOVERNO BOLSONARO TENTA ACALMAR ALIADOS PARA APROVAR REFORMA DA PREVIDÊNCIA EM CASO DE MINISTRO.

Mais perdido que torcedor de Vasco e Fluminense em final de Taça Guanabara o Governo federal precisa se organizar com aliados para aprovar a reforma da previdência Social no INSS em 2019.
Depois da crise, estratégia do Planalto é diminuir estrago político do caso Bebianno
O esforço no Palácio do Planalto a partir desta segunda-feira (18) é de mudar a agenda da crise política provocada pelo caso envolvendo o ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, e colocar uma pauta de governo em cena para ocupar o noticiário.

O governo foi atropelado pela agenda negativa do caso Bebianno justamente no momento em que tentava emplacar duas pautas prioritárias: a reforma da Previdência e o pacote de combate à corrupção e à criminalidade, do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Bebianno é centro da primeira crise política do governo do presidente Jair Bolsonaro, gerada pela suspeita de que o PSL, partido de Bolsonaro, fez uso de candidatura “laranja” nas eleições de 2018 para desviar verbas públicas.

https://www.youtube.com/watch?v=ezqE1NF2BgA&t=11s

Existe uma preocupação imediata em tranquilizar aliados e dirigentes partidários que ficaram perplexos com a fritura explícita de Bebianno por parte da família Bolsonaro. O governo tenta construir uma base aliada sólida para aprovar a reforma da Previdência.

“Se fosse hoje, a reforma não seria aprovada. Todo mundo ficou assustado com o caso Bebianno. Será preciso reiniciar a construção da base aliada. A sorte é que o texto da Previdência só será votado no final de maio”, ressaltou um dirigente partidário ao Blog.

Há o reconhecimento interno, principalmente na ala militar do governo, de que essa crise foi provocada pelo próprio núcleo familiar do presidente Jair Bolsonaro, quando o filho Carlos Bolsonaro desmentiu a informação de que Bebianno tinha conversado com o pai.

A avaliação é que o episódio acabou ofuscando até mesmo a reunião da semana passada em que foi definido o formato da reforma da Previdência. O martelo foi batido pelo próprio Bolsonaro na quinta-feira passada em plena crise.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.