INSS 2019: Auxílio Doença tem Novas Regras para quem se afastar do Trabalho, saiba o que mudou.

Spread the love

Ficou mais complicado ainda mais o seu Afastamento do Trabalho pelo INSS: Entenda agora como funciona as novas regras para quem ficar doente e precisar se afastar do Trabalho.

Você sabe como funciona o afastamento do trabalho pelo INSS?

Essa é uma pergunta muito comum, algumas pessoas acreditam que basta ficar doente para ter direito a alguma benefício no INSS.

Mas não é bem assim que a coisa funciona.

Para ter direito ao auxílio-doença é necessário preencher alguns requisitos:

  • carência de 12 contribuições;
  • doença incapacitante;
  • afastamento do trabalho superior a 15 dias.
INSS 2019: Auxílio Doença tem Novas Regras para quem se afastar do Trabalho, saiba o que mudou.
INSS 2019: Auxílio Doença tem Novas Regras para quem se afastar do Trabalho, saiba o que mudou.

Carência de 12 contribuições:

A carência é o número mínimo de contribuições que o trabalhador deve ter realizado para que tenha direito a receber esse tipo de benefício.

Isso quer dizer que só terá direito a receber auxílio-doença aquele trabalhador que já tenha realizado 12 contribuições ao INSS.

E se eu não tiver as 12 contribuições?

Se o trabalhador ainda não tiver realizado 12 contribuições, ele não terá direito ao auxílio-doença.

Ou seja, não poderá ficar afastado pelo INSS.

Exceção à regra ocorre no caso de acidente de qualquer natureza ou doença grave.

Entende-se como acidente de qualquer natureza ou causa aquele de origem traumática e por exposição a agentes exógenos (físicos, químicos e biológicos), que acarrete lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, a perda, ou a redução permanente ou temporária da capacidade laborativa (parágrafo único do art. 30 do Decreto n° 3.048, de 1999).

Por exemplo, um acidente de carro, uma queda, etc.

LEIA TAMBÉM: Reforma: Câmara reduz idade mínima de aposentadoria para policiais da União Medida foi aprovada por 467 votos a 15

Como pedir o benefício?

Primeiramente será necessário agendar uma perícia pelo telefone 135 ou pelo site do INSS.

A perícia será realizada em uma das agências do INSS, onde o trabalhador deve comparecer com os seguintes documentos:

  • Documento de identificação oficial com foto, que permita o reconhecimento do requerente;
  • Número do CPF;
  • Carteira de trabalho, carnês de contribuição e outros documentos que comprovem pagamento ao INSS;
  • Documentos médicos decorrentes de seu tratamento, como atestados, exames, relatórios, etc, para serem analisados no dia da perícia médica do INSS (não é obrigatório);
  • Para o empregado: declaração assinada pelo empregador, informando a data do último dia trabalhado (se precisar, imprima o requerimento);
  • Comunicação de acidente de trabalho (CAT), se for o caso;
  • Para o segurado especial (trabalhador rural, lavrador, pescador): documentos que comprovem esta situação, como contratos de arrendamento, entre outros.

Também recomendamos levar impresso o comprovante de agendamento.

Como agir no dia da perícia?

É importante seguir o seguinte roteiro:

  • Compareça ao local da perícia com antecedência;
  • Guarda um comprovante de atendimento (pode ser a senha que irá receber);
  • Apresente todos os documentos acima elencados;
  • Explique de forma clara sua situação ao perito;
  • Não tente criar informações ou aumentar os sintomas, fale apenas a verdade;
  • É importante que os documentos médicos demonstrem  a doença, o tratamento que está realizando e os sintomas.

Doença Incapacitante:

De acordo com o Manual de Perícias do INSS:

Incapacidade laborativa é a impossibilidade de desempenho das funções específicas de uma atividade, função ou ocupação habitualmente exercida pelo segurado, em consequência de alterações morfopsicofisiológicas provocadas por doença ou acidente.

Deverá estar implicitamente incluído no conceito de incapacidade, desde que palpável e indiscutível no caso concreto, o risco para si ou para terceiros, ou o agravamento da patologia sob análise, que a permanência em atividade possa acarretar.

O conceito de incapacidade deve ser analisado quanto ao grau, à duração e à profissão desempenhada.

Ou seja, o perito deverá levar em consideração a doença, seus sintomas e a profissão do trabalhador para poder definir a existência de incapacidade.

E se o INSS negar o benefício?

Em sendo negado o pedido de auxílio-doença, o segurado terá duas alternativas:

  • Apresentar recurso no INSS que será encaminhado à Junta de Recurso;
  • Ingressar com ação na Justiça Federal (regra geral).

Fonte: Jornal contabil

2 comentários em “INSS 2019: Auxílio Doença tem Novas Regras para quem se afastar do Trabalho, saiba o que mudou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *