UFC 235: JOHN JONES VENCE FÁCIL POR PONTOS EM EVENTO QUE BRASILEIRO JOHNNY WALKER DA NOCAUTE INCRÍVEL CONFIRA O VÍDEO.

Brasileiro Johnny Walker consegue um nocaute incrível Consegue uma nocaute sensacional em sua terceira vitória no UFC e você confere esse vídeo aqui no Snoop Eletronicos . Diretamente do Canal de Notícias.

Confira agora como foram as lutas e assista o Vídeo da Vitória do novo sucesso brasileiro Johnny Walker na organização.

Na Luta Principal JOHN JONES VENCEU POR PONTOS ANTONNY SMITH.

Protocolar e sem brilho, Jon Jones domina Smith, defende título no UFC 235 e se aproxima de recorde
Mesmo com perda de dois pontos por golpe ilegal durante a luta em Las Vegas, campeão chega à sua 12ª vitória em lutas com cinturão em jogo, superando Anderson Silva, igualando Demetrius e ficando a uma de St-Pierre.

O clima na arena em Las Vegas ao fim da luta principal do UFC 235 foi de frustração. Quem esperava por um show de Jon Jones, ele não aconteceu, e quem apostava que o azarão Anthony Smith poderia surpreender, viu um lutador que não levou perigo algum ao campeão meio-pesado (até 93kg). Numa luta sem brilho, Jon Jones foi protocolar e dominou Smith durante os cinco rounds, levando a vitória por decisão unânime (triplo 48-44). Por um golpe ilegal no quarto round, ainda teve dois pontos retirados, nada que fizesse falta a ele.

Jon Jones fez sua 13ª luta com o cinturão em jogo (levando-se em conta o “no contest” com Daniel Cormier), e mais um adversário foi incapaz de lhe tirar o título dentro do octógono. Seu cartel tem agora 24 vitórias e uma derrota – esta por desclassificação por golpes ilegais.

Bones ainda se igualou às 12 lutas por título com vitórias de Demetrious Johnson, além de superar as 11 de Anderson Silva e ficar a uma do recordista Georges St-Pierre (13).

– MMA é realmente uma coisa difícil. Alguns dias você estará surpreendente, e em outros você não vai ter uma performance no nível que espera. E agora vejo porque o chamam de “Coração de Leão”, este cara é duro, ele é como o Exterminador – disse Jon Jones em cima do cage após mais uma vitória.

A luta

O primeiro golpe da luta foi de Anthony Smith, com um chute que acertou a coxa de Jon Jones. E ficou só nisso o round do desafiante. O campeão ainda demorou a encontrar a distância e jogou muitos golpes no vazio, mas um chute rodado acertou o abdômen de Smith e Jon Jones se soltou mais. Na grade, ele ainda jogava os ombros de encontro à cabeça do adversário, além dos tradicionais pisões na perna. Domínio completo do campeão.

Para o segundo round, Jon Jones abriu a caixa de ferramentas com uma cotovela giratória e levou Smith para a grade, mas sem conseguir ser efetivo. O desafiante ainda tentou soltar o direto, mas acabou de novo encurralado na grade, se defendendo como podia. No terceiro round, o campeão logo foi para a luta agarrada, mas tinha dificuldades de derrubar Smith. Com a luta presa, a torcida começou a vaiar. Se foi por isso ou não, não se sabe, mas logo depois Jon Jones jogou Smith para cima e cravou no chão, levantando a torcida na arena. Smith ainda tentou anular o braço esquerdo de Jones e impedir sua projeção, mas acabava levando joelhadas.

Jon Jones voltou para o quarto round disposto a encerrar a luta. Ele colocou pressão começando com um chute no abdômen, colocando em sequência um direto de esquerda e uma joelhada voadora que parou na guarda de Smith. Jon Jones grudou mais uma vez e Smith, sentado, viu o rival de joelhos golpear de todos os jeitos. Ele ainda transitou para as costas e continuou o castigo, até que aplicou uma joelhada ilegal e a luta foi paralisada. Com o replay e o golpe ilegal confirmado, Herb Dean retirou dois pontos de Jon Jones, que a essa altura parecia assustado com uma possível desclassificação. Ele perguntou no intervalo para o quinto round se Smith estava bem, recebendo uma resposta positiva.

NIGERIANO USMAN ESPANCA TYRON WOODLEY E AGORA É O 1º AFRICANO CAMPEÃO DO UFC.

Kamaru Usman massacra Tyron Woodley e se torna primeiro africano campeão do UFC
Nigeriano não dá chances ao adversário americano e conquista cinturão peso-meio-médio com performance dominante no UFC 235, em Las Vegas.

O cinturão do UFC não é mais exclusividade das Américas, da Europa e da Oceania. O nigeriano Kamaru Usman, 31, se consagrou o primeiro africano campeão da história do UFC ao dar um verdadeiro massacre no americano Tyron Woodley, detentor anterior do cinturão dos pesos-meio-médios, e vencer por decisão unânime (50-44, 50-44, 50-45) na co-luta principal do UFC 235, na madrugada de sábado para domingo, em Las Vegas. Bastante emocionado após a luta, Usman ergueu sua filha Samirah, cuja mãe é brasileira, e fez uma dedicatória.

– Eu talvez não seja o melhor striker no mundo, talvez nãos seja o melhor wrestler puro no mundo, mas quando precisa misturar tudo isso, eu sou o melhor nessa m***. Quando esta menina nasceu, acendeu um fogo dentro de mim. Papai fez isso. Quando você crescer, quero que você lembre desse dia, OK? – disse o nigeriano.

A luta

Kamaru Usman não demorou muito para furar a defesa até então perfeita de Tyron Woodley nas defesas de queda: derrubou o campeão logo no primeiro minuto. Woodley tentou pegar o desafiante numa guilhotina, mas o nigeriano se livrou sem muita dificuldade. Ele não o manteve no chão por muito tempo, mas o fez recuar por todo o primeiro round. No clinche na grade, acertou muitas joelhadas e ganchos na linha de cintura, e neutralizou a potente mão direita do campeão.

O segundo round do desafiante foi ainda mais dominante. Usman clinchou, maltratou o adversário com ombradas e pisões no pé, e acertou uma dura cotovelada ao sair da luta agarrada que abriu o supercílio do campeão. Em seguida, o nigeriano derrubou Woodley e rapidamente passou à montada, de onde acertou golpes curtos na cabeça e na costela e ameaçou um kata-gatame.

Em larga desvantagem na luta, Woodley soltou a mão direita no terceiro round, mas passou longe nas primeiras tentativas. Usman, porém, voltou a encurralar o adversário contra a tela e neutralizá-lo. A estratégia se manteve bem sucedida no quarto período. O campeão até tentou puxar para a guarda com uma guilhotina, mas, com os dois suados, escorregou e ficou em desvantagem por baixo.

Woodley usou a grade para se levantar, e resolveu dar tudo de si para tentar um nocaute. No entanto, Usman igualou sua energia e mostrou superioridade inclusive na trocação. No clinche do muay thai, acertou duras joelhadas, e, ao se desvencilhar, balançou a cabeça do campeão com cotoveladas, uppercuts e cruzados. No último round, Woodley voltou a apostar na guilhotina em pé, mas Usman derrubou o americano em seguida e castigou o campeão – aquela altura, já ex-campeão – até o soar da buzina indicando o fim do combate.

O SHOW DA NOITE FICOU POR CONTA DE JOHNNY WALKER COM UM SUPER NOCAUTE

Ele fez de novo! Johnny Walker nocauteia Misha Cirkunov em segundos no UFC 235
Brasileiro derrota 14º colocado do ranking dos meio-pesados no card preliminar do UFC 235 com uma joelhada voadora, mas se lesiona na comemoração. Polyana Viana perde na abertura do evento.

Não dá mais para negar: Johnny Walker é um fenômeno. O lutador brasileiro pegou seu primeiro adversário ranqueado no Ultimate neste sábado, no card preliminar do UFC 235, e “tirou para nada”, do mesmo jeito que em suas duas lutas anteriores.

Uma joelhada voadora botou o letão Misha Cirkunov, 14º colocado do ranking dos meio-pesados, para dormir em apenas 36s em Las Vegas, para conquistar sua terceira vitória consecutiva pela organização, a nona seguida no total.

Johnny, aliás, se machucou mais fora da luta do que no combate. O brasileiro bateu continência e se deixou cair na lona, mas, ao fazê-lo, machucou o ombro esquerdo, e mal conseguia levantá-lo. Ele não conseguiu evitar a risada ao falar do ocorrido com o comentarista Joe Rogan.

– Sim, machuquei um pouco. Meu ombro. Se eu sobrevivo a mim mesmo, sobrevivo a qualquer um! – disse Walker, que ainda mandou uma mensagem de amor para o personagem de desenho animado Mickey Mouse. Em entrevista ao Combate nos bastidores, Walker contou que o ombro saiu do lugar na comemoração, mas que já havia o recolocado no lugar e não sentia dor.

Sobre o nocaute, Johnny Walker foi humilde.

– Foi bom timing. Eu treinei isso milhares de vezes. E eu vou treinar mais para ser ainda mais perfeito.

Johnny Walker estava solto no octógono, mesmo enfrentando um lutador bem considerado e após aceitar a luta com cerca de duas semanas de antecedência.

Fez graça com um chute baixo de Cirkunov e saltitou, fintou, foi tentando fisgar o letão radicado no Canadá. Numa delas, o adversário levantou o joelho e se curvou; Walker saltou com a joelhada voadora. Acertou em cheio, Cirkunov caiu, e o brasileiro golpeou sua cabeça até o árbitro Herb Dean encerrar a luta.

Confira os resultados completos do evento:

CARD PRINCIPAL
Jon Jones venceu Anthony Smith por decisão unânime (triplo 48-44)
Kamaru Usman venceu Tyron Woodley por decisão unânime (50-44, 50-44, 50-45)
Ben Askren venceu Robbie Lawler por finalização aos 3m20s do R1
Weili Zhang venceu Tecia Torres por decisão unânime (29-28, 30-27, 30-27)
Pedro Munhoz venceu Cody Garbrandt por nocaute aos 4m52s do R1
CARD PRELIMINAR:
Zabit Magomedsharipov venceu Jeremy Stephens por decisão unânime (triplo 29-28)
Johnny Walker venceu Misha Cirkunov por nocaute técnico aos 36s do R1
Cody Stamann venceu Alejandro Perez por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27)
Diego Sanchez venceu Mickey Gall por nocaute técnico aos 4m13s do R2
Edmen Shahbazyan venceu Charles Byrd por nocaute técnico aos 38s do R1
Macy Chiasson venceu Gina Mazany por nocaute técnico a 1m49s do R1
Hannah Cifers venceu Polyana Viana por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28)

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.